A importância da tolerância nos dias atuais

295

“O egoísmo não consiste em vivermos conforme os nossos desejos, mas sim em exigirmos que os outros vivam da forma que nós gostaríamos. O altruísmo consiste em deixarmos todo o mundo viver do jeito que bem quiser”.

(Oscar Wilde)

 

Por Andrea Anciaes

Hoje começo o meu artigo abordando um tema bastante pertinente para o momento atual: tolerância.

Tolerância tem a ver com respeitar as diferenças, sejam elas físicas, comportamentais, ideológicas ou de qualquer outra natureza.

Em um mundo no qual a convivência social é inevitável, ser tolerante é uma competência importantíssima, independentemente do meio em que se vive.

As pessoas pensam, agem, creem e têm valores e posicionamentos diferentes um dos outros.

Buscar novos conhecimentos, por exemplo, é uma ótima forma de conhecer a tolerância, pois, assim, você consegue entender outras realidades e não fica preso apenas a ideias que defende ou nas quais acredita.

O mundo conta com bilhões de pessoas, cada uma com suas crenças, ideias e costumes. O principal papel da tolerância é fazer com que todos esses indivíduos consigam conviver de forma harmoniosa, respeitando o espaço do outro e o seu direito de ser quem é.

Em tempos onde o assunto “política” está em evidência torna-se praticamente inevitável não refletir sobre o valor da tolerância.

Ser tolerante é diferente de ser condescendente, e nada tem a ver com aceitar injustiças ou passar por cima dos seus valores, e sim de aceitar que o outro tenha a mesma liberdade que você tem para ser quem é.

A prática da tolerância deve significar mais do que a coexistência pacífica, por mais crucial que ela seja. É preciso ter uma compreensão ativa promovida através do diálogo e pelo envolvimento positivo com os outros.

Vivemos tempos difíceis. A crise política e financeira tomou proporções assustadoras, desmoronando as esperanças e os planos dos brasileiros.  Hoje em meio à tantas incertezas, à hostilidade parece imperar, alimentada por ânimos exaltados e pelas divergências ideológicas que cavam um abismo entre dois lados rivais. Vivemos como se cada história tivesse apenas dois lados e todos fossem obrigados a assumir uma posição.

Como se houvesse apenas o lado bom e o lado ruim. Como se pessoas que pensam diferentes tenham de ser inimigas. E no meio dessa onda gigante de intolerância e radicalismo, até as crianças se tornam vítimas, ou pior: personagens de episódios de agressão e muitos preconceitos.

Mas afinal o que é a tal “Tolerância Política”?

Significa respeitar as opções de cada um. O cuidado com as palavras… uma coisa é criticar um governante ou político qualquer, deixando claro o seu descontentamento quanto à sua atuação. Outra é xingar e ridicularizar!

Vivemos hoje em um regime democrático, no qual cada um tem o direito de defender os seus candidatos e as legendas às quais eles estão filiados.

De direita, centro ou esquerda, todo mundo pode e deve expressar os seus pontos de vista, desde que de maneira pacífica e sem agressões.

Você pode até discordar da orientação política do seu amigo, mas jamais deve faltar com o respeito à ele por isso.

Visivelmente o Brasil hoje se dividiu em dois….um lado “verde e amarelo”, outro lado “vermelho”, o cenário político se converteu em um verdadeiro FLA-FLU de opiniões. As plataformas e aplicativos de redes sociais na Internet se transformaram em um dos principais palcos de discussões entre grupos opostos. Mas nem sempre as discussões se fixam na troca de ideias, na exposição de argumentos, e não são raras as vezes em que viram mera troca de insultos.

Certamente questões políticas são complexas, e os debates passam por questões comerciais. Mas as campanhas em prol da tolerância deveriam ser incentivadas diretamente por líderes de cada nação.

Os preconceitos, a intolerância, dentre outras atrocidades podem ser combatidos não somente pela informação, mas também através da construção e do estabelecimento de valores como a tolerância, a ética, a honestidade, o respeito e o exercício real da cidadania.

Sejamos mais otimistas, mesmo com todas as dificuldades, sempre há uma forma de absorver algo de bom… não seja impositivo, esteja aberto às diferenças e se torne uma pessoa mais tolerante e receptiva tornando assim o mundo que vivemos um lugar bem melhor!

 

Abaixo a opinião da escritora e colaboradora deste jornal Regina Hercos

Tolerar, não é creditar ao outro os apontamentos que damos luz aos nossos olhos, mas é trazer luz à nossa capacidade de mostrar o caminho contrário a esse sofrimento provocado, e fazer com que todos sejamos incapazes de fazer outros sofrerem por nossos atos de egoísmo e de incompreensão da realidade humana. Tolerar é conceder ao outro o direito de ser como é, mesmo não compactuando dos mesmos pensamentos e atitudes, assim como o perdão, que ao ser concedido, não te faz amigo de quem se perdoou, mas te livra do peso que a falta de perdão te ocasionou.  (R. Hercos)