“VIDAS NEGRAS IMPORTAM”

295

Por Celso Luiz Sestini Guerche

 

Depois disso olhei, e diante de mim estava uma grande multidão que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, de pé, diante do trono e do Cordeiro, com vestes brancas e segurando palmas.E clamavam em alta voz: “A salvação pertence ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro”.Apocalipse 7:9-10

 Com a morte de George Floyd desencadeou uma comoção mundial em protesto contra o racismo, com manifestações em muitos lugares em favor da igualdade entre todos.

Neste final de semana, na corrida de fórmula 01 – o GP da Áustria, na hora da execução do hino, os pilotos ajoelharam-se como forma de apoio a causa, gesto que tem se tornado a marca nesse protesto antirracista.

Porém, algo chamou a atenção: 6 pilotos não quiseram ajoelharem-se. E mesmo justificando-se sobre seus posicionamentos, renderam manchetes polêmicas em diversos jornais como: “Pilotos ignoram ou Pilotos se negam a ajoelhar-se em protesto”. Mas, na contramão das manchetes, uma frase de Lewis Hamilton traz o sentido maior: “Não quero que as pessoas se sintam forçadas. Quero que as pessoas se empolguem por fazer parte da mudança. Quero que pensem ‘mesmo que eu não tenha experimentado o racismo comigo, posso tentar entender como essas pessoas se sentem e dizer que não quero que as pessoas se sintam da mesma maneira’. Isso é o que importa”. (site UOL, de 06/07/2020).

Hoje as pessoas não conseguem mais se calarem diante das injustiças e opressões de pessoas que se sentem superiores. E isso é o que a Bíblia nos ensina.

Paulo, em sua segunda carta aos Colossenses 3:11, diz assim: “Nessa nova vida já não há diferença entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, bárbaro e cita, escravo e livre, mas Cristo é tudo e está em todos”.

Um dos grandes exemplos da misericórdia de Deus e tratamento de igualdade das pessoas encontra-se na passagem do evangelho de João no capítulo 8, narrando que os religiosos da época trouxeram uma mulher pega em flagrante adultério e perguntavam a Jesus o que deveria ser feito com ela, já que a pena para tal pecado era o apedrejamento. Jesus ouviu calado e quando falou tratou de curar a todos, dizendo que aquele que não tivesse pecado fosse o primeiro a atirar a pedra. Jesus lembrou a cada um deles que eram pecadores e necessitavam do arrependimento. Olhou para a mulher e disse para abandonar a sua vida de pecado. Esse exemplo é uma realidade para nós. Precisamos lembrar que somos pecadores e necessitamos abandonar o pecado.

Jesus Cristo destruiu na cruz toda divisão que poderia estar acontecendo entre as pessoas e inclusive o nosso distanciamento de Deus, trouxe-nos uma nova chance e mostrou o único caminho de reconciliação com o Pai.

Rm 3:22 – 24 –justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que creem. Não há distinção,pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.

Somos herdeiros do pecado no jardim do Éden, porém reconciliados pela morte de Jesus Cristo na cruz. Esse sacrifício está disponível a todos, porém é preciso aceitá-lo, arrependendo-se da vida de pecado e confessando Jesus como seu único e suficiente Salvador.

Você está empolgado “por fazer parte da mudança”?

 

  • Celso Luiz Sestini Guerche – Igreja Adventista da Promessa