Pantera Alvinegra reage e busca empate diante do Comercial

132
Foto: Rafael Bento/CAV 

No duelo disputado em Mirassol/SP, Comercial saiu na frente marcando duas vezes no início do jogo, mas CAV conta com gols do artilheiro Gabriel Barcos e milagres do goleiro Talles para empatar em 2 a 2.

Clube Atlético Votuporanguense e Comercial de Ribeirão Preto/SP empataram em 2 a 2 na noite de terça-feira (27) na partida que marcou a retomada da Série A3 do Campeonato Paulista após paralisação de 45 dias provocada pelo agravamento da pandemia de Covid-19 no estado. Confronto foi realizado no Estádio José Maria de Campos Maia, o Maião, em Mirassol/SP, porque a Arena Plínio Marin, estádio de Votuporanga/SP, não possui iluminação artificial.

Diante da ansiedade da retomada do torneio, as equipes fizeram uma partida bastante movimentada, e mesmo atuando como visitante, o Comercial começou pressionando e aos 25 minutos já vencia por 2 a 0, com gols anotados por Filipinho e Rafael Tanque. Gabriel Barcos diminuiu para o CAV, aos 35 minutos, de cabeça, e ele mesmo empatou o jogo na segunda etapa, convertendo com categoria uma penalidade máxima logo aos 2 minutos.

Daí para frente, o jogo continuou movimentado, porém a trave e o goleiro Alex Muralha salvaram os visitantes; enquanto o arqueiro da Pantera Alvinegra também não teve vida fácil e precisou operar um milagre aos 40 minutos, quando após cobrança de escanteio a bola sobrou na área para Caio Talarico que finalizou com endereço, mas eis que surge Talles em cima da linha, salvando o dia.

Após o último soar do apito no Maião, o novo xodó da Pantera, atacante Gabriel Barcos, agora com três gols marcados em duas partidas comentou: “A gente saiu atrás no placar. A gente sabe do tempo que todos os clubes da Série A3 estão treinando, esperando essa volta, então foi um jogo muito duro, sofremos um pouquinho no começo, mas depois nos impomos dentro do jogo e conseguimos buscar esse resultado que foi muito importante, após ter saído com dois gols atrás no placar. Muito feliz em ter marcado os dois gols e espero que dê continuidade ao trabalho e que possa ajudar o CAV cada vez mais”, concluiu El Pirata.

Outra função por vezes criticada é a do treinador, porém Rogério Corrêa que realizou substituições cirúrgicas no desenrolar da partida aproveitou para explicar: “A gente já sabia que iria ser um jogo difícil, complicado, uma equipe que há anos vêm nessa divisão, é uma equipe grande, assim como o CAV. A gente teve a infelicidade de sair perdendo de 2 a 0. Os gols que nós tomamos foram coisas que nós havíamos alertado, mas depois o importante é que o time teve coragem para jogar, pôr a bola no chão e procurar os espaços. Ao final do jogo, nós ganhamos um ponto. A divisão é essa, ponto a ponto, jogo a jogo, a gente vai conseguir buscar nossa classificação”. 

Com o resultado, o CAV ficou na 9ª colocação da tabela, uma abaixo da zona de classificação. Os oito melhores da primeira fase se classificação para os playoffs de quartas de final.

Para cavar uma oportunidade entre os classificados, o elenco do Rogério Corrêa entrará em campo pela quinta rodada da Série A3, nesta quinta-feira (29), às 20h, quando visitará o Nacional-SP, no Estádio José Liberatti, em Osasco/SP.