EMPREENDEDORISMO – Jovem começa trabalhar aos 12 anos e aos 16 monta sua própria empresa

3857

 

Aos 18 anos tem seu próprio Provedor de Internet (TecNet Brasil) e atende três cidades com sistema de fibra óptica

 

DANILO CAMARGO

O votuporanguense Pedro Abdala não é um jovem comum. Normalmente aos 12 anos os meninos querem andar de bicicleta, jogar bola, skate e fazer tudo o que é perfeitamente normal para a idade de um adolescente. Mas, esse menino não! Ele conta, que aos 12 anos por vontade própria, decidiu trabalhar na área eletrônica. Influenciado por um blogueiro chamado Allan Caldas que tem uma empresa no Rio de Janeiro chamada Vox Telecom. Pedro foi emancipado aos 16 anos e hoje com 18 anos possui um provedor de internet que atende três cidades com Fibra Óptica.

Pedro conta que era de Amparo (SP) e que em 2011 mudou-se com sua mãe para Votuporanga, nesta época tinha apenas 12 anos. Por aqui, estudava na parte da manhã e no período da tarde fazia uns bicos numa empresa de venda de celulares. Foi ali que começou seu sonho de trabalhar por conta na área eletrônica.

Pedro ainda prestou serviços em lojas de informática. “Eu nunca pensei em dinheiro, com amor ao trabalho foquei na área de telecomunicações. Com 14 anos eu já havia aprendido muita coisa e quis montar um provedor de internet. Muitos não acreditavam no que eu falava, achavam que era coisa de criança, que não era concreto e nem muito sério; não tive apoio no início”, confessa.

Pedro, no alto dos seus 14 anos, arrumou um sócio, mas a parceria não durou muito tempo. Ele lembra que ouviu de um empresário bem sucedido de Votuporanga que se alguém tem um sonho deve insistir nele. Baseado na sua própria história disse a Pedrinho que encontrou muitas barreiras na vida, mas nunca desistiu do seu sonho.

Então o jovem empreendedor resolveu realizar seu sonho sozinho, mas seu primeiro obstáculo foi a falta de dinheiro. Certo dia, ele conta, que estava numa festa de casamento e conversou com um empresário sobre seus anseios, e este prometeu o ajudar mesmo ele tendo, nesta época, apenas 15 anos. Pedro conta que o empresário confiou um dinheiro pra ele.

 

Com 12 anos realizou diversos cursos em Eletrônica

Tinha o recurso, mas precisava abrir a empresa, com 15 anos isto não era possível. Foi tocando como dava, trabalho existia. Quando completou 16 anos seus pais resolveram emancipá-lo e aí ele conseguiu abrir uma micro empresa, um provedor de Internet. Nesta época o tio dele (José Abdalla Filho) presente a todo aquele esforço decidiu investir no sonho do sobrinho, comprou um carro e toda infraestrutura necessária.

“Por eu ser um menino novo tive muitas dificuldades, as pessoas não acreditavam no meu potencial. Eu estava empreendendo e elas achavam que eu brincava de trabalhar”.

Mas tudo mudou quando ele conheceu uma engenheira chamada Ana Paula Mieri, uma especialista em tirar licença SCM na ANATEL. “Sem este documento não pode operar e na época custava em torno de R$9 mil. Isto aconteceu em 2017, eu passava por uma crise financeira e foi quando outro empresário vendo o meu sufoco, que ele também já tinha passado, resolveu me ajudar; ele se chama Anderson Gustavo e é diretor da Vipsnet de Valentim Gentil. Com a sua ajuda e do meu tio José Abdalla Filho, em 2018 a empresa engrenou e de lá pra cá ficou redonda. Consegui gerar emprego para 5 funcionários e hoje atuamos em 3 cidades atendendo nossos clientes com sinal de Internet por meio de fibra ópitca”, diz orgulhoso.

Pedro conta que sempre buscou escutar os mais velhos. “Meu pai, João Alexandre Abdala, quando percebeu que o meu sonho era concreto e não uma brincadeira começou a lutar comigo. Com 14 anos eu já viajava para o sul de Minas para dar consultoria em provedores de grande porte. Eles quando me viam comentavam, ‘não é possível que um menino tão novo consiga dar consultoria para líderes de empresas, muitas vezes remotamente’”.

Desde os 12 anos Pedro Abdalla realizou diversos cursos na área. Ele conta que nunca usou drogas e nem é adepto a bebidas alcóolicas. “Sempre fui focado no que queria para minha vida. Consegui tudo o que quis e não me importo pelo que passei e nem o tanto que demorou. A minha vida é uma luta e adoro viver assim!”, confessa.

“Não existe tempo ruim para investir, existe hora certa e precisamos confiar na própria administração para ir no caminho correto e Deus sempre a frente de todas as coisas”, ensina Pedrinho

Pedro conta que quando partiu para tecnologia de fibra óptica, já que ainda o sistema de sua empresa era Via Rádio, ele não possuía condições financeiras de bancar os fornecedores. “Os bancos nunca me deram crédito por ser novo e não ter vínculo com as instituições por muito tempo. Alguns bancos rejeitaram abrir conta; até que achei um que confiou em mim e acabou sendo mais um passo para o meu sucesso. Aprendi que cooperativismo é o melhor caminho. Hoje eu não sei como agradecer as pessoas que me ajudaram, porque só o dinheiro não paga o que fizeram pra mim. Hoje eu acho que para pequenas empresas que estão começando o segredo é a persistência; não escutar o lado negativo e ter o pé no chão; não existe tempo ruim para investir, existe hora certa e precisamos confiar na própria administração para ir no caminho correto e Deus sempre a frente de todas as coisas”, ensina.

Hoje com 18 anos Pedro Abdalla administra o seu tão sonhado provedor de Internet, a TecNet Brasil, em três cidades: Votuporanga, Parisi e Álvares Florence.