Após cinco anos de batalha contra leucemia, Eluana vai receber medula do primo

638

Moradora de Monte Aprazível ficou conhecida na web após divulgar vídeo incentivando a doação de medula óssea.

A um passo de ser curada da leucemia crônica, doença que enfrenta há cinco anos, Eluana Coutinho, 32, será internada no Hospital de Base (HB) de Rio Preto na próxima quarta-feira (13), para o processo que antecede o transplante de medula óssea.

A moradora de Monte Aprazível se destacou na web e ficou conhecida na região após divulgar um vídeo no ano passado incentivando a doação de medula, que viralizou com mais de 70 mil curtidas. Eluana em Votuporanga, concedeu entrevistas para a Rádio Clube FM e para este Diário com a intenção de divulgar a importância das doações. Eluana, que anteriormente iria receber a medula da irmã, agora vai receber o órgão do primo, Marcelo Fernando, de 38 anos.

A chance de cura é a mesma, 50%, já que não há doador 100% compatível – no ano passado, um doador 100% compatível, de São Paulo, desistiu do procedimento. A chance de compatibilidade é de um entre 100 mil.

Desde outubro do ano passado, Eluana está afastada de qualquer tipo de tratamento – sua doença avançou para um estágio em que seu corpo rejeita as medicações. Para fazer o transplante, ela terá que enfrentar outra batalha – a de morrer para viver. Durante essa semana, a paciente passará por uma bateria de exames no Hospital de Base. Após a internação, ela será submetida à introdução do cateter. O transplante deve ser realizado ainda nesse mês.

“Eu tenho muita fé em Deus e acredito na minha cura. Mas é um momento muito delicado para todos nós, muito cansativo e doloroso pra mim… É a única chance que eu tenho de sobreviver, se não der certo eu vou morrer”, diz.

Após o transplante, Eluana passará por outro momento delicado – terá fraqueza, queda de cabelo e muito sono devido aos medicamentos. “Eu sei que será muito doloroso, é morrer para viver, mas tenho fé que serei curada”.

Seja um doador

O Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea, criado em 1993, centraliza todas as informações cadastrais de pessoas dispostas a doar medula óssea para pacientes que não possuem doadores na família.

Quando um paciente precisa de transplante, o registro é consultado e, se houver um doador compatível, o mesmo é convidado a fazer a doação. Os registros podem ser consultados no site: http://redome.inca.gov.br.

Quem pode se cadastrar

Pessoas entre 18 e 55 anos que estejam em bom estado de saúde (sem doenças infecciosas ou incapacitantes).

Basta apresentar um documento oficial com foto (ex: RG e CNH). O doador deverá preencher um formulário com dados pessoais, que precisa ser atualizado constantemente (caso haja mudança de endereço, telefone ou outras informações, o doador precisa ir ao Hemocentro de sua cidade para fazer a atualização).

(Karol Granchi – DL News)